Porque viver, sobrevivendo, é uma questão de simplicidade...
Terça-feira, 16 de Novembro de 2004
"My love in on the line..."

Passei a minha vida inteirinha a lutar contra o pior de mim.


 Em 1º lugar, a agressividade.


Vocês não sonham como eu sou agressiva por natureza. Desde criança.


Há quem diga e com razão, que sou refinada na minha agressividade, ou seja, bato sempre onde dói mais… E com uma estalada só. Bem no sitio certo.


O pior foi quando me deu para virar essa agressividade contra mim, em ordem de conseguir viver em paz com os outros. Foi um grande sarilho. É um grande sarilho, e não há Daniel Sampaio que me valha….


Mas porque me lembrei disto hoje? Por nenhuma razão em especial.


 Ontem à noite, os meus filhos diziam entre dentes que eu estava “furibunda”. Isto significa que me deu um ataque daqueles de partir a loiça toda.


Até o bébé Alex ficou em sentido! Ele era gatos e cão a fugir para todo o lado, ele era a tartaruga a meter-se à pressa na carapaça, não fosse cair-lhe em cima uma Maria Fernanda cheia de raiva..

Fiz uma panela de sopa que ninguém vai comer como de costume, cortada à bruta com o facalhão da cozinha. As batatas, cenouras e afins devem ter pensado, coitadas, que não havia necessidade de serem escortinhadas com tal violência, mas fez-me um bem enorme!


 Mas como a raiva ainda se colava à pele, passei para a gaveta dos tachos e panelas, que areei furiosamente até desfazer o raio do esfregão de arame. Quanto ía atacar o frigorifico (PARA O LIMPAR), faltaram-me as forças.


Sentei-me cá fora ao frio, depois de gritar lá para dentro NÃO ME CHATEIEM!, e fumei 2 ou 3 cigarros de enfiada, acendendo uns nos outros, até o fumo de sair pelas orelhas.


 Olhei furiosamente para a ranhosa da lua, que estava armada em lasca de unha, e gritei para ar “SOU UMA GRANDE ESTÚPIDA!!!!!”


 O que vale é que não tenho vizinhos e até as paredes da minha casa são à prova de som, portanto, nem cá fora nem lá dentro me ouviram.


 Vim para dentro a olhar de rabo para aquela estrela miserenta que me acompanha há que séculos com a mania que é minha, e que me ficou a sorrir com ar paternalista, eheheheheheheheeh, a quem não liguei porque tenho mais que fazer.


 E HOJE… Hoje vesti-me de preto, carreguei os olhos de negro, conduzi sem dar folga ao motor, e assim que cheguei à Junta, apanhei o Presidente a chegar de jornalinho na mão, pronto a dar um jovial BOM DIA, mas o que ouvi em tom jocoso foi “Já vi que vens numa de carro de combate!”


Pois é.


 É a desvantagem de trabalhar com quem me conhece há muito (já lá vão 16 anos), e me topa com um lance de olhar.


 Por isso aqui deixo um aviso à navegação:


 Venho armada de facalhão de cozinha.


Tou que nem me aguento.


HOJE não me liguem.


 Façam de conta que não me vêem.


Passem para o outro lado do passeio.


 Porque não vou acabar o dia sem bater em alguém.


Algum masoquista por aí????????????



publicado por Fernanda às 10:51
link do post | favorito

De Anónimo a 16 de Novembro de 2004 às 15:38
Porquê? Maria
</a>
(mailto:Maria40@yahoo.com)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.