Porque viver, sobrevivendo, é uma questão de simplicidade...
Terça-feira, 24 de Maio de 2005
Suicidio

No blog da minha amiga Lyra (abarcadelyra.blogspot.com) fala-se, creio que no post de ontem, acerca do suicídio.


 Isto porque o Hélder, (quem sou eu para o tratar assim, pois não o conheci e só hoje soube do seu blog) se suicidou.


 Uma coisa me arrepiou, não sei se é importante: não tem qualquer comentário nos seus textos, só depois de se matar.


Ao ler as suas palavras, senti-as minhas, de há uns anos atrás. Muitos felizmente.


 Considero que o suicídio não é um acto de cobardia, como muita gente diz. Quem o diz, nunca passou por isso de certeza.


Enfrentar a morte de vontade própria exige uma coragem tremenda, não a coragem necessária para enfrentar o dia a dia, mas outro tipo de coragem, tão intensa como a primeira.


Mas o que me preocupa mesmo é o caminho que conduz a tal acto de desespero: a depressão.


 Estamos no séc. XXI e ainda há quem tenha medo de recorrer a psiquiatras, deixando-se emaranhar nas teias desta doença (de ricos, há quem diga) sem procurar ajuda especializada.


Não há uma tradição de saúde mental no nosso país.


E continuam a mascarar-se de “manias” os desequilíbrios mentais e psicológicos, sendo ostracizados no mundo do trabalho (e não só), aqueles que têm coragem de assumir que estão deprimidos, procuram ajuda médica, metem baixa e tomam medicação.


Enfim…


Pela minha parte, e embora ele não se rale com isso, aqui deixo um beijo para o Hélder, que deve estar muito mais feliz agora……



publicado por Fernanda às 11:21
link do post | comentar | favorito
|

16 comentários:
De Anónimo a 25 de Maio de 2005 às 14:55
Com o devido respeito pela situação só espero que não seja mais um caso idêntico áquele que há meses atrás tambem dizia que se ia suicidar...toda a gente ficou em alvoroço e preocupada...dois dias depois, andava nos chats e continua com o blog. Todas as pessoas têm o direito de acabar com a sua existência, suicidando-se...mas não precisam de o publicitar.
Desculpa o comentário...apaga se quiseres.aflores
(http://omeublog2004.blogs.sapo.pt)
(mailto:albertoflores1957@sapo.pt)


De Anónimo a 25 de Maio de 2005 às 11:08
Já a catalogaram como doença do século, mas felizmente tem cura, por muito que custe. E como tu dizes, e muito bem, Fernanda, há que recorrer a essa ajuda médica e é quem está ao seu lado que mais responsabilidades tem neste campo. Sei perfeitamente que uma pessoa nesse estado não tem força, nem ânimo, nem vontade para se mexer e muitas vezes afunda-se cada vez mais nesse seu estado, fechando-se numa concha impenetrável. Agora, uma coisa é certa... o Hélder pode estar muito feliz mas deixou muita gente infeliz cá por baixo!Carlos Tavares
(http://o-microbio.blogspot.com)
(mailto:carlos.roquegest@mail.telepac.pt)


De Anónimo a 25 de Maio de 2005 às 00:14
sabes fernanda tambem não acho que seja um acto de cobardia apenas. Tem que ser tambem um acto de grande coragem. Para se deixar tudo para trás. saber que a partir de determinado momento... Doeu me tudo cá dentro ao escrever aquele post. Um beijinho minha queridalyra
</a>
(mailto:notasdelyra@gmail.com)


De Anónimo a 24 de Maio de 2005 às 22:33
realmente... esperemos que ele esteja melhor sim. um enorme beijo para ti e para ele**Karura
(http://blackpenguin.blogs.sapo.pt)
(mailto:karura@iol.pt)


De Anónimo a 24 de Maio de 2005 às 20:44
quem nos pode garantir a paz na morte? nunca conheci ninguém que tivesse morrido para vir contar depois, mas este é um tema que me fascina, não pelo seu lado triste, mas sim pelo seu lado de mistério, de procura de outra coisa. maresia
(http://enquantoaonda.blogspot.com/)
(mailto:trapicia@hotmail.com)


De Anónimo a 24 de Maio de 2005 às 20:27
Também já tinha passado por lá... e Pelo Helder tb.. o Helder não está mais feliz, o Helder não está, a ausencia de sofrimento não implica necessáriamente felicidade..Daniel
(http://seedsof.blogspot.com)
(mailto:seedsof@hotmail.com)


De Anónimo a 24 de Maio de 2005 às 15:41
para meditar e reflectir...rato
(http://www.prisioneirodonada.blogs.sapo.pt)
(mailto:medio_centro@hotmail.com)


De Anónimo a 24 de Maio de 2005 às 14:27
Concordo contigo! Acrescento que interessariam ser analisadas as verdadeiras causas que levam à depressão. E também como deveríamos encarar esse estado de espírito que leva a desiquilíbrios e a condutas não consentâneas com a verdadeira razão de viver.
O suicídio resulta dum estado de alma mas nunca se poderá afirmar que o desejo da alma tenha sido desvirtuado. Para quem acredita que a alma decide, independentemente do que possa "pensar" o resto que compõe o ser humano!...
Amaral
(http://amaralnascimento.blogspot.com)
(mailto:amaralnascimento@hotmail.com)


De Anónimo a 24 de Maio de 2005 às 14:12
Estes "bitaites" que as pessoas mandam para o ar de ser cobardia o suicídio é apenas uma maneira de encolher os ombros perante os problemas dos outros. Assim pretendem justificar, perante eles próprios, a sua total falta de sensibilidade perante o sofrimento alheio. Esse rapaz ao criar um blog estava a pedir ajuda. Infelizmente ninguém viu a mão dele fora de água quando se estava a afogar dentro de si mesmo. Um grande xicoração Fernandinha.carlos
(http://carlosrlopes.blogs.sapo.pt)
(mailto:carlosrlopes@sapo.pt)


De Anónimo a 24 de Maio de 2005 às 13:58
É a primeira vez que venho ao teu blog e fi-lo apenas porque vi o teu comentário no Ninho da Gata e segui o link. Deparei-me com esta notícia e, mesmo sem conhecer o Hélder ou o blog dele, fiquei com os sentimentos em estado de sítio. Sei por experiência própria aquilo pelo qual ele passou... Foi exactamente por isso que criei o meu site (ainda que sediado num servidor de blogs). Consegui sobreviver a uma Depressão profunda que me transfigurou durante 7 anos, embora tenha começado muito antes. Quando me senti voltar a mim mesma, decidi partilhar a experiência para que outros depressivos se sintam menos sós e menos únicos numa sociedade que não os entende e ostraciza, rotulando-os erradamente de loucos. A mensagem última é de esperança na cura porque a Depressão não tem de durar para sempre. Se for tratada por especialistas (psiquiatras primeiro e psicoterapeutas depois), tem cura! Não é vergonha recorrer a eles e deve-se fazê-lo com a mesma naturalidade com que se recorre a um otorrino quando se tem uma complicação auditiva. É isso que tento dizer no meu espaço on-line. A quem me comentou, sempre respondi por e-mail por entender que todos merecem uma palavra na privacidade e no sigilo. Sei bem como um depressivo teme a exposição pública durante a doença, embora, por vezes, sinta necessidade de gritar a plenos pulmões... Também sei como o silêncio dos outros que interpelamos pode ser fatal quando estamos desesperados... Talvez o vazio de comentários tenha sido a última gota no caso do Hélder. Mas também estou certa de que não foi a única razão. Mesmo que ele tivesse tido respostas, nada nos garante que alguma delas tivesse o poder extraordinário e quase improvável de demover o Hélder a cometer suicídio. Poderia ajudar, mas nunca impedir. Aliás, nem sempre as palavras que se deixam são as mais encorajadoras para quem está no limite. Por vezes podem ser nefastas, ainda que ditas com boa intenção. Provavelmente não teria servido de nada se tivesses escrito ao Hélder que ele tinha de ter coragem, cerrar os dentes, seguir em frente, enfrentar as dificuldades como todas as outras pessoas fazem. Isso não ajuda em rigorosamente nada. São meros registos verbais, sem significado, para quem tem uma Depressão. Servem apenas para estimular quem está apenas deprimido mas não para quem está depressivo. Estar deprimido não é a mesma coisa que estar depressivo. Estar triste ou com baixo astral não é sinónimo de ter uma Depressão. A tristeza é normal e todos nós passamos por ela muitas vezes na vida. É um estado transitório que se trata com mézinhas caseiras e bom humor. A Depressão é uma doença com maior ou menor gravidade que se pode tornar crónica se não se for tratada com psicofármacos e acompanhada por profissionais de saúde mental. Não é vergonha estar doente e a doença não deve ser um estigma. Infelizmente ainda pode ser fatal se as pessoas continuarem a ter medo de lidar com quem está doente. Infelizmente foi fatal para o Hélder. Espero que a blogosfera fique alerta com este caso e que ele tenha servido para ajudar a entender o que é a Depressão.Sombra
(http://sombranosilencio.weblog.com.pt)
(mailto:catia.mourao@gmail.com)


Comentar post