Porque viver, sobrevivendo, é uma questão de simplicidade...
Quarta-feira, 31 de Maio de 2006
Dias cinzentos

Dias cinzentos acalmam tontices e rubores e tremores e problemas existenciais...

Fica só uma moleza de alma...

Beijo para todos que têm - ainda - a paciencia de me aturarem....


sinto-me: mole....

publicado por Fernanda às 11:36
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|

Segunda-feira, 29 de Maio de 2006
Liberdade

Acho que acontece um pouco a todos nós...

A mim, com maior frequência do que devia.

Gostava de ser pássaro, para poder voar por aí.

Gostava de ser livre.

Com aquela liberdade insana, que é impossivel de ter, que nunca temos, desde que nascemos, até que morremos.

Por isso, talvez sendo pássaro??

Não sei...

Deve ser da medicação que ando a tomar, mas só me apetece voar.

Pôr uma mochila às costas e partir, ir por esse mundo fora, ver tudo aquilo que sei que nunca verei.

Regressei à adolescencia, já vi.

Estou mais embirrenta e com mau feito do que a minha filha de 15 anos.

Será o meu cerebro a adaptar-se à minha imagem?

Ou será apenas a minha eterna e malfadada insatisfação com a vida?

Já percebi que nunca terei Paz.

E o pior é que atribulo a vida dos me rodeiam com os meus achaques interiores.

Torno-me irascivel, insuportável, fecho-me a mil chaves e só tenho vontade de gritar ao mundo DEIXEM-ME EM PAZ!

Até as tarefas e as conversas mais banais são um tormento.

Só posso considerar, no meio de isto tudo, que não cresci.

Mantenho uma imaturidade bem maior do que a do meu filho de 3 anos.

E ando a competir com ele em termos de birras...

Um dia destes, a continuar assim, chego a casa, e tenho as malitas à porta.

Talvez não fosse má ideia.

Para eu perceber que para me encontrar não preciso de estar sozinha, que o mundo lá fora é bem cão.

Coisas que eu já devia saber, não é?

Mas voltei atrás no tempo.

Tenho de novo 15 anos e sinto-me agrilhoada.

Sinto que o mundo está à minha espera.

Para eu fazer o inter-rail que sempre sonhei e nunca calhou.

QUERO A MINHA BARRIGA DE VOLTA!

Quero sentir-me kota outra vez!

Alguém me mete juizo na cabeça, por favor???

 



publicado por Fernanda às 13:04
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|

Quarta-feira, 24 de Maio de 2006
O coiso...

Lá começou o Coiso...

Vai ser, dia após dia, só Coiso...

Tudo entusiasmado, não se fala de outra coisa, tudo a correr para não perder pitada, luso nacionalismo ao peito, os chineses todos felizes com a venda das bandeiras, algumas mal feitas, os cafés apinhados de gente para partilharem as emoções do Coiso..

UMA SECA!

Perdoem-me.

Sou muito patriota.

MAS ODEIO FUTEBOL!!!


sinto-me:

publicado por Fernanda às 11:48
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|

Domingo, 21 de Maio de 2006
Filosofias tão baratas que nem servem por trazer por casa…

 

 

Este ano, meus amigos, tem sido muito estranho para mim.

Não me posso queixar de rotina.

 

(ENA!!SERÁ QUE ELA NÃO SE VEM QUEIXAR?????)

 

Aconteceram coisas novas, umas boas outras menos boas, que estão a transformar 2006 num ano de Renascimento.

 

Algumas coisas vocês sabem…

 

A minha transformação física, o ter encontrado a minha mãe e a minha irmã (apesar de elas não quererem nada comigo), o espectro do despedimento do meu marido, a entrada de uma colega nova de trabalho e a possível saída daquela que me acompanha há 18 anos, novos patrões, um salto tremendo no desenvolvimento físico e emocional dos meus 3 filhos (pois… passaram a ser pessoas e não só meus filhos…), novas amizades que cruzaram o meu caminho e eu espero durem o resto da minha vida (Coralinha, esta é para ti), o aprofundar de amizades que andavam apenas no limbo do mero convívio…

 

Apesar de andar meio distante da net, consegui também perceber quais de vocês me oferecem um sincero ombro amigo, com  que sei que posso contar, aconteça o que acontecer..

Ou seja, saíram do ecran para a vida real, mesmo que nunca nos tenhamos sequer visto face-to-face.

 

Tenho observado bastante também tudo o que se passa à minha volta, e cada vez e convenço mesmo que a Lei da Vida é igual para todos.

 

Não há fuga possível.

 

Vivemos agrilhoados a obrigações. A caminhos que nos foram traçados e dos quais não podemos fugir, mesmo que nos rebelemos e tenhamos vontade de rebentar em lágrimas de revolta!

 

Cabe aqui todo um mundo de tretas que temos de fazer mesmo que não nos apeteça, pois disso depende a nossa sobrevivência. A nossa e a dos nossos.

 

Não sei se existe no Mundo alguém que se sinta totalmente Livre.

 

Será?

 

Mesmo um nómada ou um indígena de um país ainda em estado “natural” tem as suas obrigações, decorrentes das suas necessidades, por mais básicas que sejam…

 

Apenas no Sonho somos Livres!

 

Aí não há contas para pagar, justificações a dar, nada tem de ter sentido, apenas a nossa vontade corre louca e até absurda por todos os cantos do imaginário.

 

O pior é o embate com a realidade.

 

Mas também, já somos crescidinhos, não?

 

Infelizmente somos crescidinhos!

 

Cada um de nós teve de crescer ao ritmo que lhe foi imposto.

 

Eu cresci rápido demais.

Por isso ainda mantenho algumas características  (ia chamar-lhe defeitos, mas já não têm cura…), infantis, que atribulam um pouco  minha vida e dos que me rodeiam…

 

Sou caprichosa, de uma teimosia atroz, hiper-sensivel, faço beicinho e amuo com uma facilidade estrondosa, tudo funciona a 8 ou 80, e a qualquer sinal negativo, penso logo que não gostam de mim, que não me querem, que estou a mais…

Exactamente como acontecia no recreio….

Quando me empurravam do jogo do elástico e me chamavam caixa-de-óculos, ou ouvia os professores a bichanar na sala que a “miúda é mesmo esquisita, deve ser de não ter pai…”

 

Criei tal defesas que, quando fui para a escola preparatória, resolvia todo à pancada, e rapidamente me tornei a líder lá do sitio!

O respeitinho é bonito e eu gosto.

 

Defesas..

As defesas que a Vida nos levar erguer.

Uma vida inteira a erguê-las arduamente.

 

E quando há momentos em que elas caem a um sopro de vento, hem?

Lá ficamos de novo no recreio, prontos a dar ou a levar pancada.

 

Felizmente são poucos esses momentos.

 

Andamos ocupados demais a cumprir as nossas obrigações.

 

Como agora.

 

Apetecia-me continuar aqui a escrever disparates, mas tenho de ir fazer o almoço.

 

Vingança do chinês? É tudo corrido a peixe cozido!

 

Ehehehheheheh….


sinto-me:

publicado por Fernanda às 11:36
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|

Terça-feira, 16 de Maio de 2006
Sem titulo mesmo..
Não sofri de depressão pós-parto.
Aliás, acho que foram as únicas alturas da minha vida em que não me senti deprimida…
Não sei se existe uma “depressão pós-operação”.
O meu marido diz que sim.
O que é um facto é que as modificações que o meu corpo sofreu me puseram um pouco à nora.
Um pouco é favor.
Vocês já sabem que não bato muito bem da bola.
O que hoje é preto, amanhã será branco, para depois de amanhã só poder ser um magnifico e utópico arco-íris.
Sou, por natureza, uma insatisfeita.
Canso-me a mim, e canso os outros.
E depois faço castelos no ar, construo mundos ideais, e cada embate com a realidade me põe de mau humor.
Resumindo: sou uma chata.
Mas pronto, pelo menos já não sou uma chata gorda!
Posso com isso ganhar mais algum encanto..
Considero uma injustiça não ter uma varinha mágica que me desse tudo o que quero e me permitisse ajudar todos os que precisam, e aceito todas as dores, porque acho que as mereço pois sou má, muito má, porque se não fosse má, não tinha dores…
Ora, Maria, vai chatear outra!
Precisava de férias de mim, sinceramente.
Assim, ficar a pairar…
Dar descanso a esta alma errante, a este corpo preguiçoso, a esta mente que não pára e só pensa em disparates, a este coração que só sussurra parvoíces.
Se fosse rica, assim como as gajas das novelas, ía para uma clínica-spa, fazer aqueles tratamentos que devem deliciosos, aquelas massagens e curas de sono, limpezas de pele e tal e tal e tal..
Digam lá que não sou esperta, hem?
Tinha férias de mim e dava férias de mim a quem me rodeia que, coitados, bem precisam.
E voltava como nova!
Bem, se calhar habituava aquela treta e não voltava!
Tenham uma excelente terça ou lá que dia é da semana que eu nem sei a quantas ando.
Beijos!
Não sofri de depressão pós-parto.
Aliás, acho que foram as únicas alturas da minha vida em que não me senti deprimida…
Não sei se existe uma “depressão pós-operação”.
O meu marido diz que sim.
O que é um facto é que as modificações que o meu corpo sofreu me puseram um pouco à nora.
Um pouco é favor.
Vocês já sabem que não bato muito bem da bola.
O que hoje é preto, amanhã será branco, para depois de amanhã só poder ser um magnifico e utópico arco-íris.
Sou, por natureza, uma insatisfeita.
Canso-me a mim, e canso os outros.
E depois faço castelos no ar, construo mundos ideais, e cada embate com a realidade me põe de mau humor.
Resumindo: sou uma chata.
Mas pronto, pelo menos já não sou uma chata gorda!
Posso com isso ganhar mais algum encanto..
Considero uma injustiça não ter uma varinha mágica que me desse tudo o que quero e me permitisse ajudar todos os que precisam, e aceito todas as dores, porque acho que as mereço pois sou má, muito má, porque se não fosse má, não tinha dores…
Ora, Maria, vai chatear outra!
Precisava de férias de mim, sinceramente.
Assim, ficar a pairar…
Dar descanso a esta alma errante, a este corpo preguiçoso, a esta mente que não pára e só pensa em disparates, a este coração que só sussurra parvoíces.
Se fosse rica, assim como as gajas das novelas, ía para uma clínica-spa, fazer aqueles tratamentos que devem deliciosos, aquelas massagens e curas de sono, limpezas de pele e tal e tal e tal..
Digam lá que não sou esperta, hem?
Tinha férias de mim e dava férias de mim a quem me rodeia que, coitados, bem precisam.
E voltava como nova!
Bem, se calhar habituava aquela treta e não voltava!
Tenham uma excelente terça ou lá que dia é da semana que eu nem sei a quantas ando.
Beijos!

sinto-me:

publicado por Fernanda às 13:05
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

Segunda-feira, 15 de Maio de 2006
É sempre assim...

Acabo sempre, ao minimo sopro de nada, por me sentir a mais.

Um fardo na vida das pessoas.

Uma coisa que não é necessária.

Uma obrigação que começa por ter alguma graça, mas depois se torna pesada.

Um exagero de emoções.

Uma parvoíce.

Merda para isto!

Estou mesmo a precisar de férias...

 


sinto-me:

publicado por Fernanda às 16:10
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

Sábado, 13 de Maio de 2006
Vamos lá a animar isto!!!!!!

.....................

 

parece que ainda não é hoje....


sinto-me:

publicado por Fernanda às 21:24
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Quinta-feira, 11 de Maio de 2006
...

Há por vezes momentos ou acontecimentos catalisadores.

Que nos lançam em balanços e flash-backs de uma vida inteira.

Num segundo, ou pouco mais, passa tudo pela mente e, pior, pelo coração.

Mas não os bons momentos.

Esses devem estar guardados noutro departamento qualquer mais inacessível ou de password mais complicada para uma memória cansada.

 

São os maus momentos que vulcanizam.

Implodem.

Trazendo cada amargo de boca, cada vazio de olhar, cada maquinismo de acção.

 

Passa a vidinha toda pela frente.

Como se estivéssemos à porta do outro lado.

 

O balanço é sempre trágico.

Porque nos permitimos sentir assim.

Pegamos até nas verdadeiras tragédias dos outros, e por auto comiseração, choramos todas as nossas.

Verdadeiras ou exageradas.

 

Hoje, doem-me todas as minhas frustrações.

Todas as culpas.

Tudo o que deixei por fazer.

 

O que é isso perante uma verdadeira tragédia como perder um filho?

 

NADA!

 

E então, sinto-me repugnante na minha pequenez de espírito.

Na minha vidinha medíocre.

Nos meus sonhos estapafúrdios.

 

Devia estar de joelhos a dar graças.

 

E estou aqui, a pegar numa dor que não conheço, para justificar as que me atormentam.

 

Para as deixar tomar conta de mim.

Para poder permitir sentir-me pequena e ter direito a pedir colo.

E a recusa-lo.

 

Porque já sou grande.

 

Já não tenho idade para estas coisas.

 

Tenho inveja daqueles que vivem mansamente toda uma existência.

Sem grandes sobressaltos interiores.

Sem duvidas existenciais ou filosóficas.

 

Tenho muita inveja.

 

É só mais uma constatação de um defeito como outro qualquer.

 

Porque hoje, queria ser qualquer um, menos eu.

 

Com excepção dos pais da Laurinha, e de todos os pais que perdem filhos.

 

Porque essa é a dor maior.

 

Não existe dor maior.

 

E aqui assumo o meu pânico.

O meu terror.

 

De um dia a ter de sentir.


sinto-me:

publicado por Fernanda às 13:41
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|

Quarta-feira, 10 de Maio de 2006
Dor

Meus amigos, depois da Bébé da ActiveStress, foi a vez da Menina da Mamããã ter falecido..

Estou estarrecida, sem palavras.

Passem por lá, se puderem.

mfcf.blogs.sapo.pt


sinto-me:

publicado por Fernanda às 18:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Terça-feira, 9 de Maio de 2006
Habitos Estranhos!
A minha amiga Aragana (araganices.blogspot.com), companheira e amiga de longa data lá me passou uma corrente gira, que passo a explicar.
 
Tenho de mencionar 5 hábitos estranhos.
 
Tendo em conta que eu sou toda muito estranha, torna-se difícil escolher…
 
Em tempos, houve uma corrente de manias, mas penso que há diferença entre hábitos estranhos e manias. O difícil é percebê-la, quando só temos meia dúzia de neurónios a funcionar…
 
Ora bem… hábitos estranhos… deixa-me cá pensar..
 
1 – Não consigo sair de casa sem levar na mala tudo o que me possa fazer falta… desde o mais variado tipo de medicamentos (desde analgésicos a anti inflamatórios), uma bolsa cheia de pinturas (que normalmente mal uso), 2 tipos diferentes de perfume, pensos rápidos e higiénicos, pastilhas elásticas e smints com fartura, escova de cabelo e de dentes, o meu organizer com fotos da família toda, duas ou três canetas não vá uma não escrever, um grande molho de chaves (da minha casa, da Junta, da casa da minha mãe, da minha sogra…). Moral da história: as minhas malas são todas tipo Baús! Pesadas que se fartam e de conteúdo perfeitamente inútil, com excepção da carteira do dinheiro e dos cartões, que se revela bem leve por oposição.
 
2 – Nunca compro fruta sem a cheirar. Quando estou constipada, não vou mesmo às compras.
 
3 – Quando estou deprimida (quase sempre..) tenho de gastar dinheiro, mesmo que não o tenha. Torna-se muuuito complicado, mas como sou modestinha, às vezes chega uma coisita de 2 euros,e já fico feliz, tipo um cesto novo para as molas da roupa.
 
4 – Adormeço sempre a embalar-me.
 
5 – Assim que toca o despertador, levanto-me tipo zoombie, vou à cozinha fazer um guronsan, acendo um cigarro e sento-me à frente da televisão, de onde não saio enquanto não dá a meteorologia para o dia. Afinal, preciso de saber que tipo de roupa convém vestir, não?
 
E pronto.
 
Vou passar isto a.. deixa cá ver..
 
- Ao Carlos (carlosrlopes.blogs.sapo.pt)
- À Grilinha (grilinha.blogs.sapo.pt)
- À Fernanda (o-vento-debaixo-das-minhas-asas.blogspot.com)
- À Magguy (queriaverte.blogs.sapo.pt)
- Ao Alberto (ailaifeblog.blogspot.com)
 
E agora, vou avisá-los nos respectivos cantinhos, coisa que eles terão de fazer, quando passarem a “pasta” aos seus 5 eleitos.
 
Beijão para todos.

sinto-me:

publicado por Fernanda às 12:21
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
26
27
28

29
30
31


posts recentes

A ESTRELA !!!

Mas nem tudo são desgraça...

Pois..

Saudade...

ESTUPIDAAAAAAAA!!!!

20 anos

Beleza Pura

De Centauro a Sereia

ATÉ DEUS....

QUERO UM!!!!

arquivos

Agosto 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds