Porque viver, sobrevivendo, é uma questão de simplicidade...
Quarta-feira, 9 de Novembro de 2005
...

question[1].jpg


Já pensaram que desígnios determinam a nossa vida?


 Que será que determina o que somos e o estilo de vida que temos?


Informação genética? Educação? A maneira como fomos criados?


Tenho um grande respeito por todas as funções e profissões que existem, porque se existem, é porque são necessárias, mas confesso que há algumas que me arrepiam.


 Seria incapaz de as executar…


Mas isto digo eu, que sou o resultado da vivência que tenho…


E mais uma coisa me faz pensar….


 Se somos todos iguais aos olhos de Deus, porque temos todos doses diferentes de sacrifício e dôr ao longo da vida?


Porque há pessoas que para elas tudo é (parece) fácil, e outros (a maioria) em que cada benefício é tirado a ferros?


Não me estou a queixar.


 Com o mal dos outros posso eu bem, e tenho a noção de que não me posso queixar.


 Mas não deixo de ver que há (felizmente) quem está muito melhor que nós.


 E de certeza que esses pensam que há outros, bem melhores que eles..


 Será a insatisfação uma característica inata ao Homem?


 Fiquei muito impressionada com um bocadinho que vi de uma entrevista no programa da manhã da TVI, a uma desgraçada que está numa situação terrível, doente terminal, com 5 filhos penso eu, e que mal sobrevive, quanto mais vive…


E pensando que estas situações são intoleráveis em qualquer lugar, e muito mais num jardim à beira mar plantado, em que se gastam milhões mal gastos, lembrei-me que noutras partes do mundo acontecem coisas inarráveis.


 Insuportáveis de sabermos que existem e ainda mais para quem as vive.


 Portanto, já combinei com o Gajo lá de cima que na próxima encarnação me recuso a nascer ser humano.


 Prefiro ser pedra.



publicado por Fernanda às 16:19
link do post | comentar | favorito
|

9 comentários:
De Anónimo a 10 de Novembro de 2005 às 16:40
mas será que esse tal de "deus" existe??

Já começo a duvidar, se não ele não cometia tantas injustiças, ai maria isto dava aqui pano para mangas se fosse dar a minha opiníão.
Mas respeito as pessoas q acreditam N`ÉLe.
eu cá preferia ser um animal qualquer, se fosse possivel escolher claro!L.M
(http://luismiguel.blogs.sapo.pt)
(mailto:luismiguel.a@sapo.pt)


De Anónimo a 10 de Novembro de 2005 às 15:02
Poix é... tou com o mesmo sentimento... é de mta impotência face a cada uma que temos de ver nesta ***** de vida...!
Resta-nos interpretar como desafios...q tornam a vida interessante.. basta para tal ultrupassá-los para lhes dar sentido! Beijo. ANAAna
(http://anamania.blogs.sapo.pt)
(mailto:anaimota@netvisao.pt)


De Anónimo a 10 de Novembro de 2005 às 11:34
tu e muita gente quer ser pedra... beijos****Karura
(http://www.blackpenguin.blogs.sapo.pt)
(mailto:anywherebuthome@gmail.com)


De Anónimo a 10 de Novembro de 2005 às 09:32
Fernanda... sinceramente, acho que somos o que somos, mas somos nós que nos vamos talhando ao longo da vida, pendendo para o lado e experiencias que nos trouxeram mais benefícios. Acabamos sempre por experimentar um pouco de tudo e nao ir pelo caminho que não nos fez bem... e daí isto dava pano para mangas, porque também podemos querer ir desafiar a sorte novamente. Não quero comentar de forma linear, ams anão há muita alternativa. Claro que há quem nasça em berços de ouro, mas esses também têm as suas grande doses de insatisfação e infelicidade. Se nascemos humanos, há que fazer o melhor com as capacidades que somos dotados, aprendendo com o que fizemos mal e sorrindo com as coisas boas. Olhos postos no futuro, vivendo o presente da melhor forma. Não gostava de vir como animal nem como coisa nenhuma na proxima reencarnação, apesar de lixado, é muito bom poder ter livre arbítrio e sentir, sentir como nenhum outro ser vivo é capaz. Um grande beijo para ti!Aragana
</a>
(mailto:aragana@sapo.pt)


De Anónimo a 10 de Novembro de 2005 às 02:32
Quem sou eu para ousar comentar o teu post? Olha, vou deixar que as teclas botem vida debaixo dos dedos.
Ou muito me engano ou não vais ter nenhuma: o Gajo não te vai reencarnar em pedra. A evolução parece que é pra cima, não pra baixo, e a vibração duma pedra é muito baixa em relação à do ser humano. Por isso, Ele (e Tu) irão acordar noutra solução…
O que determina o que Somos somos nós. Por isso, escolhemos a cada instante, Aquilo que queremos ser. Tu parece que tens escolhido ser "uma mulher d'armas", "um ser determinado, sem papas na língua", etc.. Mas amanhã podes escolher outra coisa: "uma pessoa odienta, má com'às cobras, violenta, insensível", etc.. O que Somos e o que Queremos Ser depende do livre arbítrio de cada um.
Os desígnios que determinam a nossa vida "poderão ter sido escolhidos" a um outro nível de consciência, que "foste obrigada" a esquecer, quando puseste o pé neste planeta azul.
Porque é que Deus é tão "injusto" que permite tão grande injustiça social, tanto sofrimento e dor - em contrapartida com tanta abundância e bem-estar material distribuída por muitos outros? Pois, a minha opinião (só isso…) é que nada existe aqui neste mundinho por uma mero acaso. A evolução do ser humano é mais rápida e consistente naqueles que sofrem ou fazem sacrifícios. Mas, cada um com a sua missão. Para que uma coisa aconteça, terá que acontecer o seu oposto. É assim neste mundo físico. Mas acho que ninguém está a mais! Se isto é um palco gigantesco, o elenco é fabuloso e a peça é um espectáculo único.
Amaral
(http://amaralnascimento.blogspot.com)
(mailto:amaralnascimento@hotmail.com)


De Anónimo a 9 de Novembro de 2005 às 20:41
pedra? eu vou nascer passaro tenho a certeza. Com a sorte que tenho um caçador qualquer dá-me um tiro mal saia do ninho :) mas isso já era azar demais.
quando os teus filhos te pediram uns patins (por exemplo) tu deste não foi? apesar de saberes que eles podiam cair e magoar-se. No entanto só assim eles aprendiam a andar de patins. Cada um deles caiu de maneira diferente. cada um deles maguou-se de maneira diferente. Então ve Deus como um pai (ou mae) . dá os patins para que os filhos possam aprender a andar. Mas cada um cai de uma maneira. cada um magoasse de uma maneira (ou não). A dor tambem faz parte do crescimento de cada um. (bem!!! isto é que foi testamento hoje! Um beijinho miuda)
lyra
</a>
(mailto:notasdelyra@gmail.com)


De Anónimo a 9 de Novembro de 2005 às 19:11
sim sr., adorei a conclusão :) Andas muito filosófica :) beijos***Kriz_The_Wiz
</a>
(mailto:krizthewiz@gmail.com)


De Anónimo a 9 de Novembro de 2005 às 18:53
Ui... o teu post de hoje dá pano para mangas. Acho que o ser humano é um ser constantemente insatisfeito, quer sempre mais e melhor. Por isso, "nós que até estamos bem" achamos que o vizinho do lado é que está. O progresso dos últimos cem anos trouxe noções de conforto e sofisticação ao homem com os quais ele nunca tinha sequer sonhado. O que faz com que estejamos um bocado "mal habituados".

Acredito que tenhas ouvido dizer como eu ouvi quando era mais pequena coisas do género: "naquele tempo era uma sardinha para três". Isso hoje a nós parece-nos impensável. Mas a verdade é que se a tal fossemos obrigados não teríamos outro remédio senão contentarmo-nos com isso. Acho que quanto mais temos com menos nos contentamos e pelo contrário quanto menos temos com menos nos contentamos.

Já me perdi no que ia dizer... enfim... acho que vou pedir para que na próxima encarnação seja uma flor.

Beijocasmulhergorduxa
(http://diariodemulher.blogspot.com)
(mailto:annp@sapo.pt)


De Anónimo a 9 de Novembro de 2005 às 16:30
Ora aí está, vou já ligar ao gajo e vou pedir para ser boneca (noutra encarnação), pelo menos ando sempre a passear ao colinho de coisas fofas e tenho muitos mimos.inconfidente
(http://inconfidencias.blogs.sapo.pt)
(mailto:inconfidencias@sapo.pt)


Comentar post